Será que somos praticantes ou apenas ouvintes da Palavra de Deus? Hoje, vamos conferir o que podemos aprender com a parábola dos dois filhos, o que Jesus quis dizer com essa história?

Encontramos no Novo Testamento histórias que Jesus nos ajuda a compreender conceitos e princípios sobre a nossa relação com Deus e os homens.

Ao usar parábolas, Ele causava impacto na maneira de ver e agir de seus ouvintes, dessa maneira, muitos compreendiam o que Deus espera de nós como seus filhos.

A parábola dos dois filhos, por exemplo, é especialmente relevante para aqueles que buscam compreender a importância de agir conforme a vontade de Deus

Neste artigo, conheceremos o significado dessa parábola e extraímos cinco lições preciosas para aplicarmos em nossas vidas.

Qual era o contexto que Jesus contou à parábola dos dois filhos?

Encontramos essa metáfora no Evangelho de Mateus 21: 28-32. Nesse momento, Jesus estava ensinando no templo, e as principais autoridades religiosas da época questionavam Sua autoridade. Para responder-lhes, Jesus conta essa parábola, visando ensinar uma lição profunda sobre a importância da obediência a Deus.

Parábola dos Dois Filhos 

“Mas que vos parece? Um homem tinha dois filhos, e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na vinha. Ele respondeu: Sim, senhor, eu vou; mas não foi. Dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; ele, porém, respondeu: Não quero. Mas depois, arrependido, foi. Qual dos dois fez a vontade do pai?” (Mateus 21:28-32)

Qual o significado da parábola

A Parábola dos Dois Filhos nos revela duas atitudes diante da vontade de Deus. O primeiro filho representa aqueles que aparentam ser obedientes, mas suas ações não condizem com suas palavras. 

Em contraste, o segundo filho, representa os que inicialmente resistem, mas, ao se arrependerem, agem conforme a vontade divina. 

Nessa parábola, portanto, Jesus nos mostra que não basta falar palavras de obediência, mas é essencial colocá-las em prática.

O que podemos aprender com a parábola dos dois filhos?

Não são poucas as pessoas que, pelo seu conhecimento, posição ou até mesmo simplicidade, acreditam estar fazendo a vontade de Deus.

No entanto, ao proferir essa parábola, Jesus desejava levar os doutores da Lei que o confrontavam sobre a Sua autoridade. Ainda assim, essa metáfora nos ensina questões importantes como as que listamos a seguir. Confira!

Lição 1: A Importância da coerência 

A primeira lição que extraímos da parábola é sobre a importância da coerência entre o que falamos e o que fazemos. Deus valoriza a sinceridade do coração e a ação concreta em Sua obra.

Por isso, não devemos nos contentar apenas com palavras bonitas, mas buscar agir com integridade, cumprindo aquilo que prometemos ao Senhor. (Mateus 21:30)

Lição 2: O papel do arrependimento 

O segundo filho nos ensina sobre o poder do arrependimento sincero. Todos nós cometemos erros e falhas, mas o arrependimento genuíno nos aproxima de Deus. 

Isso porque Ele é misericordioso e acolhe aqueles que, sinceramente, desejam corrigir seus caminhos. Por isso, o arrependimento é uma oportunidade para recomeçar e demonstrar nossa vontade de seguir a Deus. (Mateus 21:29)

Lição 3: Não julgar pelas aparências 

Na parábola, o filho aparentemente obediente não cumpriu a vontade do pai, enquanto o filho inicialmente relutante agiu corretamente. 

Isso nos lembra de não julgar as pessoas apenas pelas aparências ou primeiras impressões. 

Afinal, cada indivíduo tem sua jornada espiritual, e somente Deus conhece os corações. Portanto, devemos exercer a empatia e a compreensão ao lidar com o próximo. (Mateus 21:31)

Lição 4: A preeminência da obediência

Jesus enfatiza a importância da obediência à vontade do Pai, pois é pela obediência que demonstramos nosso amor e dedicação a Deus. 

No entanto, a obediência não é apenas um dever, mas um ato de adoração. Assim, quando buscamos fazer a vontade de Deus, fortalecemos nosso relacionamento com Ele e encontramos a verdadeira satisfação espiritual. (Mateus 21:31)

Lição 5: A Porta para a Transformação 

Finalmente, ao concluir a parábola, Jesus afirma que os publicanos e as prostitutas estavam entrando no Reino de Deus antes dos líderes religiosos. 

Isso mostra que a transformação de vida é possível para todos, independentemente do passado ou das escolhas equivocadas. Deus valoriza o coração que se arrepende e se entrega a Ele. 

Nesse sentido, a parábola nos lembra que a verdadeira mudança ocorre quando nos submetemos à vontade do Pai. (Mateus 21:32)

Assim, podemos afirmar que a parábola dos dois filhos mostra-nos que o arrependimento sincero e a obediência são fundamentais em nossa jornada espiritual. 

Então, por meio dessas cinco lições, somos encorajados a buscar uma vida de integridade, compreensão, arrependimento e obediência.

Além disso, aprendemos que precisamos agir conforme as nossas palavras para ser coerente como Jesus Cristo nos ensinou. 

Leia também: A Parábola da Lamparina: 7 lições sobre o evangelho que precisamos saber.

Aprenda também com esses 14 versículos ideais para iniciantes na pregação (Com Esboços)

Sobre o Autor

Josiane Silva
Josiane Silva

Olá, eu sou a Josiane Silva, mãe, avó e procuro servir a Deus. Amo estudar a bíblia para compreender o comportamento humano. Afinal podemos aprender muito com as histórias dos outros, não é mesmo? Como gosto muito de ler e de escrever, também trabalho como redatora freelancer.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.