A Parábola do Grão de Mostarda é uma poderosa metáfora que demonstra o valor da palavra de Deus e a importância de cultivar a nossa fé.

Por isso, entender o que ela nos ensina pode aumentar nossa compreensão sobre a função do evangelho e o poder da Palavra de Deus em nossas vidas.

Durante o ministério terreno de Jesus, ele proferiu várias parábolas para ensinar princípios morais de maneira didática e simples de compreender. Para isso, ele usava o que as pessoas conheciam e criava pequenas histórias que conectam a experiência dos ouvintes com a mensagem.

Dessa maneira, ele ilustrava a importância de considerar os mandamentos do Senhor para herdar o reino dos céus.

Assim, ao compreendermos o significado da parábola do grão de mostarda, por exemplo, somos capazes de vislumbrar como a semente do Evangelho pode crescer e transformar as nossas vidas. 

Para conhecer um pouco mais o que aprendemos com essa história, continue lendo este artigo.

Por que Jesus contou a Parábola do Grão de Mostarda?

O capítulo 13 do livro de Mateus, mostra que Jesus inicia um processo de ensinar a seus seguidores vários princípios que eles precisavam saber. Nesse contexto, ele já havia realizado muitos milagres, por isso, as pessoas já estavam prontas para conhecer um pouco mais sobre sua missão.

Daí, começar contando metáforas era a maneira simples e eficaz de transmitir verdades espirituais complexas por meio de histórias simples e acessíveis. Por isso, toda vez que se encontrava entre as multidões, ele aproveitava a oportunidade para compartilhar sua mensagem de amor, esperança e redenção. 

Qual é a característica dessa semente e, por que usá-la como exemplo?

O grão de mostarda é uma semente minúscula, mas que pode chegar a altura de 1,5 metro. Essa característica foi fundamental na escolha de Jesus para ilustrar o crescimento assombroso do reino de Deus no mundo que atravessaria fronteiras.

Em Marcos 4:31, inclusive, Jesus descreveu a semente de mostarda como “a menor de todas as sementes que há na terra”. No entanto, essa pequena semente representa a palavra de Deus que tem o poder de crescer e se multiplicar. 

Assim, devido às suas características, essa semente serviu como base para ensinar que o crescimento do Evangelho dependeria do poder divino, não do esforço humano.

O que aprendemos com a parábola do grão de mostarda?

Podemos aprender lições fundamentais com essa história que Jesus contou. 

Primeiramente, ela nos mostra que a palavra de Deus tem um potencial de crescimento surpreendente. Assim como a semente de mostarda, quando semeada em solo fértil, a palavra de Deus encontra um ambiente propício para crescer e se espalhar, alcançando vidas e corações. 

Isso ressalta a importância de compartilharmos a mensagem do Evangelho, mesmo que inicialmente possa parecer insignificante.

Além disso, essa história nos ensina que o reino de Deus veio para crescer e se tornar algo grandioso. Apesar de ter iniciado em Jerusalém, apenas para os judeus, a proposta era abranger todas as nações, acolhendo aqueles que se aproximam com fé. 

Por fim, aprendemos que assim como a árvore de mostarda serviria para acolher as aves, o reino de Deus também seria um lugar de refúgio, provisão e paz para todos os que encontram abrigo nele.

“Se tiveres fé de um tamanho de grão de mostarda”

Na primeira vez que Jesus fala sobre essa semente, ele está se referindo como seria o crescimento do Evangelho, isto é, nada o impediria de crescer.

Porém, há outra passagem bíblica em que essa mesma semente se refere ao tamanho da nossa fé. Como está escrito em Mateus 17:20:

“Por causa da pequenez da vossa fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível.”

Neste segundo momento, a ideia é nos encorajar a ter fé, mesmo quando as circunstâncias parecem adversas.

Encontramos nos ensinamentos bíblicos várias histórias mostrando que o agir de Deus não depende do tamanho da nossa fé, mas da nossa convicção de que Deus está no controle de tudo.

No Salmo 23, por exemplo, o salmista afirma que o Senhor é o nosso pastor; assim, podemos contar que o essencial para nossa vida, não faltará.

Assim, compreendemos que ainda com uma pequena fé, se nós a nutrimos com a confiança em Deus, alcançaremos vitórias em nossa jornada.

No entanto, devemos atentar que o ensinamento mais profundo dessa parábola se refere a conquista do reino dos céus, não apenas as libertações terrenas.

Por fim, de qualquer maneira, aprendemos que o impacto que uma pequena semente de fé pode converter corações e promover libertações em nossas vidas.

Se gostou da explicação e precisa de versículos que o ajudem a meditar na palavra, então leia: 10 poderosos versículos de gratidão a Deus.

Sobre o Autor

Josiane Silva
Josiane Silva

Olá, eu sou a Josiane Silva, mãe, avó e procuro servir a Deus. Amo estudar a bíblia para compreender o comportamento humano. Afinal podemos aprender muito com as histórias dos outros, não é mesmo? Como gosto muito de ler e de escrever, também trabalho como redatora freelancer.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.