O profeta Isaías teve uma visão impactante da glória de Deus registrada no capítulo 6 de seu livro. Essa experiência gloriosa marcou a vida ministerial do profeta messiânico. No entanto, essas experiências e lições não estão disponíveis apenas para Isaías, mas a todos crentes em Jesus que almejam ser impactados pela presença de Deus. Então, vamos aprender com este estudo de Isaías 6!

Aqui estão 10 Lições da Visão e Chamada de Isaías:

1. O que poderia ser o pior ano de Isaías, se torna o melhor

¹ No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo. (Isaías 6:1a)

Perceba o que Isaías está dizendo: “no ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor”. No ano de perda para Isaías, ele viu o Senhor. Ou seja, no ano que poderia ser o pior da sua vida, podemos dizer que foi o melhor.

Quando Isaías viu o Senhor, ele teve uma grande experiência com a Glória de Deus que marcou seu ministério sendo um divisor de águas na sua chamada.

Aprendemos aqui que, Deus transforma situações que aos nossos olhos parecem perdas, em ganhos.

2. O Senhor Reina acima de tudo

¹ “…eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo.” (Isaías 6:1)

A palavra aqui usada para Senhor é Adonai, que significa “Senhor e Amo Supremo”.

Quando Isaías diz “eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono“, ele está dizendo que precisou olhar para cima para ver o Senhor. Além disso, Isaías viu o Senhor sobre um alto e sublime trono, ou seja, não há nenhum trono acima do trono de Deus.

Isaías aprendeu nesta visão, que embora Urias foi um grande rei, nem se compara ao Rei supremo, o Senhor nosso Deus, o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores.

Não há trono mais alto, nem mais sublime, não há trono mais glorioso do que o de Deus, pois, só Ele reina sobre tudo e todos.

3. Adoradores ministram continuamente ao redor do trono de Deus

² Os serafins estavam acima dele; (Isaías 6:2a)

Serafins são, literalmente, “aqueles que queimam“. São anjos, cujo ministério está intimamente ligado ao trono e ao louvor a Deus. Eles são constantemente vistos glorificando a Deus, exaltando sua natureza e seus atributos.

Esses seres angelicais com seis asas estavam próximos ao trono de Deus conforme a visão de Isaías. Com duas asas cobriam o rosto, em sinal de respeito pela glória de Deus. Com duas asas cobriam os pés em sinal de modéstia. E com as outras duas voavam em sinal de obediência imediata.

Isaías aprende nesta visão do capítulo 6 que, próximo a Deus há vida, adoração e reverência. O significado de Serafins aponta para o fogo que representa algo vivo. Além disso, Os Serafins mostravam total reverência a Deus ao ministrar diante do trono.

Esta não é somente uma lição para Isaías, mas para todos cristãos, principalmente aqueles que possuem ministérios. Se queremos estar próximos de Deus, precisamos ter reverência a Ele. E assim como os Serafins que ardem em fogo, precisamos expressar vida continuamente servindo ao Senhor. A chama precisa estar acesa em nossos corações.

4. Quem experimenta a glória de Deus não fica calado

³ E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. (Isaías 6:3)

E outras traduções diz que “eles gritavam em voz alta uns para os outros“, ou “proclamavam uns aos outros“. Ou seja, esses seres que estavam próximos ao trono de Deus não conseguiam guardar aquilo que viam e sentiam só para eles, havia uma necessidade de compartilhar.

Nesse caso, os Serafins proclamam a santidade de Deus. Mas, perceba que eles proclamam uns para os outros, ou seja, o que eles estão dizendo tem um propósito e destino.

Esta lição que o profeta Isaías aprende e nós também, revela que os atributos de Deus são transmitidos por aqueles que pertencem a Ele e estão pertos Dele.

O crente salvo que procura servir a Deus e andar em seus caminhos não consegue ficar sem proclamar os atributos de Deus, seja pregando, testemunhando ou dando bom exemplo de cristão.

Se o “fogo de Deus” te pegou, não é possível você ficar calado e não transmitir essa gloriosa experiência a alguém.

5. Deus é Santo

“³ E clamavam… Santo, Santo, Santo é o Senhor…” (Isaías 6:3)

Sei que você já ouviu muitas vezes que Deus é Santo, mesmo assim, quero fazer questão de lembrá-lo mais uma vez disso. Não sou só eu, mas os Serafins repetiram três vezes “Santo” é o Senhor.

O que Isaías estava aprendendo aí, e o que nós podemos aprender? Santo, revel a natureza mais profunda de Deus. Neste texto, o termo hebraico para “santo”, significa “separado”, inacessível”. No entanto, hoje, podemos nos relacionar com este Deus Santo por meio de Jesus Cristo.

Porém, sua santidade também exige de nós mudança de coração, atitudes e comportamentos.

¹⁵ Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; ¹⁶ Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. (1 Pedro 1:15,16)

¹⁴ Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor. (Hebreus 12:14)

6. Toda a terra está cheia da glória de Deus

³ “…toda a terra está cheia da sua glória.” (Isaías 6:3b)

Além da visão de Isaías revelar a santidade de Deus, revela também sua glória, um aspecto do caráter de Deus que enfatizam sua grandeza e autoridade.

Além disso, aprendemos que a glória de Deus não está apenas no céu, mas se estende até à terra. A glória de Deus se revela nas suas obras da criação. Suas obras expressam sua glória.

7. Ao som do clamor houve movimento e mudança no ambiente

⁴ E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. (Isaías 6:4)

O texto diz que o movimento nos umbrais das portas aconteceu pela voz dos Serafins, conforme a NTLH que diz “O barulho das vozes dos serafins fez tremer o Templo…”.

Que interessante esta lição que Isaías aprendeu no capítulo 6. Enquanto os Serafins gritavam “Santo, Santo, Santo é o Senhor”, começou a haver um movimento. Além disso, o texto afirma que com o movimento o ambiente se encheu de fumaça. Ou seja, houve movimento e mudança no ambiente.

O que aprendemos com isso? A lição é que, quando proclamamos algum atributo de Deus, como por exemplo, santidade, um movimento tende a acontecer. Mas, que movimento é este? Quando pregamos o evangelho, o Espírito Santo começa se mover nos corações dos pecadores e, consequentemente, uma mudança acontece.

8. O impacto da experiência com Deus nos faz olhar para nosso pecado

⁵ Então, disse eu: ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o Senhor dos Exércitos! (Isaías 6:5)

Antes do capítulo 6, Isaías profetizava para todo mundo “Aí desses… aí daqueles… aí do que faz isso… aí do que faz aquilo…”, no entanto, após sua visão, o profeta passa a dizer “Aí de mim…”.

Quem sente a presença de Deus quando impactado pela sua glória como Isaías, sua primeira reação é sentir a própria miséria.

Quem só fica profetizando para os outros mudarem e nunca muda sua própria vida, não viu o Senhor. Aqueles que só veem os erros dos outros e nunca enxerga seus próprios pecados, ainda não teve um encontro verdadeiro com Deus.

9. Deus nos purifica para o ministério

⁶ Mas um dos serafins voou para mim trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; ⁷ e com ela tocou a minha boca e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e purificado o teu pecado. (Isaías 6:6,7)

Na visão de Isaías, ele vê um dos serafins tirando do altar uma brasa viva. A brasa viva fala do fogo que purifica queimando o pecado. Altar fala de entregar, ministério, sacrifício. Ou seja, Isaías tem um ministério profético onde usa seus lábios para transmitir a mensagem de Deus. E, como mensageiro entregue a vontade de Deus, Isaías precisava ter lábios puros para profetizar.

Nossos lábios não podem falar aquilo que não agrada a Deus. “Acaso pode sair água doce e água amarga da mesma fonte”, conforme diz Tiago 3:11.

10. Disponibilidade para o ministério

⁸ Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim. (Isaías 6:8)

O profeta Isaías, agora, transformado, chamado, e purificado, está pronto para oferecer-se ao ministério profético.

Como crentes transformados por Deus, precisamos estar prontos para servir e fazer sua vontade. Assim como Isaías, devemos dizer: “Eis me aqui, envia-me a mim”.

Se gostou deste estudo, então veja também:

Sobre o Autor

André Lourenço
André Lourenço

Formado em Teologia, Graduado em Qualidade e Professor de cursos de Pregação e Interpretação Bíblica, me sinto feliz em compartilhar estudos bíblicos com você.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.