Os quatro primeiros livros do Novo Testamento são chamados de Evangelhos: Mateus, Marcos, Lucas e João. Cada um destes livros oferece uma narrativa detalhada sobre a vida, o ministério, a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Cada um, é claro com uma perspectiva diferente, mas que narra a mesma história.

Neste estudo, vamos explorar uma visão geral abrangente desses quatro Evangelhos, destacando suas distinções individuais e áreas de semelhança.

O objetivo deste estudo é analisar os quatro evangelhos e suas características únicas. Gostou do tema? Então fique comigo até o final.

Estudo do Significado da palavra “Evangelho”

Por que precisamos de quatro evangelhos?

Bom, antes de tudo, eu quero abordar uma questão: Muitas pessoas já se questionaram: “Será que realmente é necessário ter quatro evangelhos na Bíblia? Não poderíamos simplificar?”

Talvez essa pergunta fizesse sentido se Jesus fosse uma figura comum, realizando apenas ações comuns. No entanto, sabemos que Ele não é comum, e Sua vida não foi comum.

O apóstolo João afirmou que o mundo inteiro não seria capaz de conter todos os livros que poderiam ser escritos sobre o ministério de Jesus (João 21:25). Embora ele provavelmente estivesse usando uma figura de linguagem exagerada, o ponto é claro: há tanto a dizer sobre Jesus que não deveríamos nos surpreender com a existência de vários relatos em nossa Bíblia. Se o mundo não pode abarcar toda a riqueza de Sua história, então um evangelho sucinto com 16 capítulos, como o de Marcos, certamente não seria suficiente!

A razão para termos quatro evangelhos está relacionada ao contexto da igreja primitiva, quando quatro indivíduos diferentes sentiram a necessidade de contar a história de Jesus a partir de quatro perspectivas distintas. Cada evangelho foi escrito para um público original, por um autor diferente, e tinha o objetivo de cumprir um propósito específico.

Então, para ter força na testemunho escrito a respeito da história terrena do Filho de Deus, é melhor 4 do que um.

A origem dos evangelhos

Quais são os 4 Evangelhos e Características de cada um:

1. Evangelho de Mateus

  • Escrito por: Mateus, um dos doze apóstolos.
  • Dados Aproximados: Entre 60 e 70 dC
  • Público-Alvo: Judeus cristãos.
  • Características: Foca na genealogia de Jesus, destaca o cumprimento das profecias do Antigo Testamento, enfatiza os ensinamentos éticos e morais de Jesus (o Sermão da Montanha, por exemplo), e destaca o papel de Jesus como o Messias prometido.

Este é o mais judeu dos quatro evangelhos. O evangelho de Mateus foi escrito por um coletor de impostos judeu, que se tornou um dos discípulos de Jesus.

O evangelho tem um forte foco na lei e nos profetas do Antigo Testamento, e mostra como Jesus cumpriu muitas das profecias messiânicas.

Além disso, o Evangelho de Mateus também tem uma ênfase forte nas parábolas, que Jesus usou para ensinar lições espirituais. Essas histórias simples são uma ótima maneira de entender conceitos complexos, e Mateus as apresenta de maneira clara e direta.

2. Evangelho de Marcos

  • Escrito por: João Marcos, associado a Pedro.
  • Dados Aproximados: Entre 55 e 70 dC
  • Público-Alvo: Provavelmente, a comunidade cristã em Roma.
  • Características: É o Evangelho mais curto e direto, focando a ação e os milagres de Jesus. Apresenta Jesus como o Servo Sofredor e destaca o aspecto prático de seu ministério. Começa com o batismo de Jesus e se concentra fortemente em sua paixão e morte.

O Evangelho de Marcos é frequentemente considerado o mais curto e conciso dos quatro evangelhos. Ele é focado em ação e narrativa, e muitas vezes se concentra nos milagres de Jesus.

Além disso, o evangelho é rápido e direto ao ponto, com poucas histórias ou explicações adicionais.

Uma das características mais interessantes do Evangelho de Marcos é o que é chamado de “segredo messiânico”.

Marcos mostra como Jesus muitas vezes dizia às pessoas que ele curou ou ensinou para não contar aos outros sobre ele. Isso criou um mistério em torno de quem Jesus realmente era e ajudou a estabelecer sua reputação como Messias.

3. Evangelho de Lucas

  • Escrito por: João Marcos, associado a Pedro.
  • Dados Aproximados: Entre 55 e 70 dC
  • Público-Alvo: Provavelmente, a comunidade cristã em Roma.
  • Características: É o Evangelho mais curto e direto, focando a ação e os milagres de Jesus. Apresenta Jesus como o Servo Sofredor e destaca o aspecto prático de seu ministério. Começa com o batismo de Jesus e se concentra fortemente em sua paixão e morte.

O Evangelho de Lucas foi escrito por um médico grego que era um companheiro de Paulo. É o mais literário e bem elaborado dos quatro evangelhos.

Lucas tem um foco forte na compaixão e misericórdia de Jesus, e mostra como ele se preocupava com os pobres, doentes e marginalizados.

Lucas também é o único evangelho que contém a história do bom samaritano, uma parábola sobre ajudar aqueles que estão em necessidade.

Essa história tem sido uma inspiração para muitas pessoas ao longo dos séculos, e é uma demonstração do compromisso de Jesus com o amor e a compaixão.

Está gostando do estudo? Então vamos em frente!

4. Evangelho de João

  • Escrito por: João, um dos doze apóstolos.
  • Dados Aproximados: Entre 90 e 100 dC
  • Público-Alvo: Comunidade cristã em geral.
  • Características: Tem uma abordagem teológica mais profunda, apresentando Jesus como o Verbo encarnado, o Filho de Deus. Enfatiza os discursos longos de Jesus e contém muitas afirmações “Eu sou” (por exemplo, “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”). Aborda a divindade de Jesus de maneira mais explícita do que os outros Evangelhos.

O Evangelho de João é o mais teológico dos quatro evangelhos. Quem escreveu? Um dos discípulos mais próximos de Jesus é o autor. O livro se concentra nas declarações de Jesus sobre sua divindade.

Além disso, o evangelho também tem uma forte ênfase na vida eterna e no papel do Espírito Santo.

João é o único evangelho que contém a história da mulher no poço, uma história sobre a transformação de uma mulher que encontrou Jesus e se tornou uma pregadora.

Essa história é um exemplo do amor e da graça de Jesus, oferecido a todos, independentemente de seu status social ou histórico.

Outra característica única do Evangelho de João é a inclusão de sete “Eu sou” declarações, onde Jesus descreve a si mesmo de diferentes maneiras. Essas declarações incluem “Eu sou o pão da vida”, “Eu sou a luz do mundo” e “Eu sou a ressurreição e a vida”. Essas declarações ajudam a entender a natureza divina de Jesus e sua relação com Deus.

Como abordar a leitura dos evangelhos

Como abordar a leitura dos evangelhos

Quando se trata de ler os evangelhos, assim como os outros livros da Bíblia, é aconselhável considerar uma abordagem específica. Isso não implica que cada vez que você se dedica a ler o livro de João, deva necessariamente concluir todo o evangelho de uma só vez. No entanto, sugere-se que, se você deseja aprofundar seu entendimento sobre um deles, reserve aproximadamente uma hora para percorrer o evangelho completo de uma única vez.

Essa abordagem oferece uma perspectiva geral do fluxo narrativo do evangelho. Você começará a identificar temas recorrentes e notará mudanças de tom em diferentes partes da história.

Ao se envolver na leitura dos evangelhos, é útil fazer algumas perguntas reflexivas. Então veja:

  1. O que Jesus revela sobre sua própria identidade?
  2. Com quem Jesus está dialogando? (Isso é fundamental, pois ele interage com seus discípulos, seus opositores e até grandes multidões.)
  3. Quais são as declarações de Jesus a respeito de Deus?
  4. Como Jesus responde a várias situações? O que o alegra? O que o perturba?
  5. Quais instruções ou orientações Jesus fornece às pessoas?
  6. Por que existem múltiplos relatos dos evangelhos?

Um versículo chave de cada Evangelho

Mateus

“¹ Livro da geração de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.” Mateus 1:1

Marcos

“¹ Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus;” Marcos 1:1

Lucas

“¹ Muitos já se dedicaram a elaborar um relato dos fatos que se cumpriram entre nós,
² conforme nos foram transmitidos por aqueles que desde o início foram testemunhas oculares e servos da palavra.
³ Eu mesmo investiguei tudo cuidadosamente, desde o começo, e decidi escrever-te um relato ordenado, ó excelentíssimo Teófilo,” Lucas 1:1-3

João

“³⁰ Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro.
³¹ Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.” João 20:30,31

Que tal conferir mais temas interessantes como este? Então veja:

Sobre o Autor

André Lourenço
André Lourenço

Formado em Teologia, Graduado em Qualidade e Professor de cursos de Pregação e Interpretação Bíblica, me sinto feliz em compartilhar estudos bíblicos com você.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.