Se você está a procura de boas palavras para ministrar ofertas na Igreja, selecionei aqui 10 versículos com explicação. Ofertar é um ato de gratidão e por isso essas palavras são ideias para ministração de uma oferta no culto.

1. Deuteronômio 16:17

“Cada um dará conforme a bênção que o Senhor teu Deus te houver dado.”

Explicação:

Aqui neste versículo, Deus instrui o povo de Israel a contribuir de acordo com a bênção que receberam. A ênfase está na proporção e na gratidão. Ao dar, os israelitas reconheciam que tudo o que tinham vinha de Deus, e, portanto, sua contribuição deveria refletir a gratidão pelas bênçãos recebidas.

Amado(a), esse princípio de dar proporcionalmente às bênçãos ainda é relevante para os cristãos hoje. Ao contribuir para a obra do Senhor, é uma oportunidade de expressar gratidão e reconhecer que todas as bênçãos vêm de Deus.

Além disso, é uma oportunidade de reconhecer o quanto Deus nos abençoa. Está com saúde, é benção. Deus te deu filhos, é benção. Se alimentou hoje, é benção. Dormiu bem, é benção. Então, oferte com gratidão a Deus!

2. 2 Coríntios 9:7

“Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria.”

Explicação:

Aqui nesta palavra, o apóstolo Paulo enfatiza a natureza voluntária e alegre da contribuição para a obra do Senhor. Ele encoraja os cristãos a contribuir com o coração voluntário, sem sentir-se obrigados ou constrangidos. A alegria no ato de dar reflete a generosidade que Deus valoriza.

Querido, o versículo é claro, você deve ofertar “segundo propôs no seu coração“. Ou seja, sua oferta não deve ser mudada por obrigação por pressão que o pastor imponha.

Ao contribuir com alegria, os crentes demonstram uma atitude de gratidão e reconhecimento pelo que Deus tem feito em suas vidas.

Amado(a), este princípio destaca a importância não apenas do ato de dar, mas da atitude do coração ao contribuir.

3. Provérbios 3:9-10

“Honra ao Senhor com a tua fazenda, e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares.”

Explicação:

Nesse texto bíblico, a sabedoria do livro de Provérbios instrui a honrar o Senhor com a riqueza e as primícias dos ganhos. A ideia é que ao colocarmos Deus em primeiro lugar em nossas finanças, reconhecendo Sua soberania, Ele abençoa abundantemente.

O ato de dar as primícias, os primeiros frutos, é um gesto de confiança e dependência em Deus como provedor. Ou seja, quando você age assim está honrando ao Senhor.

Além disso, este princípio destaca a conexão entre a generosidade e as bênçãos divinas, incentivando a prática de contribuir como parte integrante da adoração e serviço a Deus.

4. Mateus 6:21

“Porque, onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração.”

Explicação:

Este versículo, parte do Sermão da Montanha, destaca a conexão intrínseca entre nossos recursos financeiros e nossos valores emocionais e espirituais. Jesus ensina que a forma como usamos nosso dinheiro reflete nossas prioridades e o que é verdadeiramente valioso para nós.

Contribuir para a obra do Senhor não apenas demonstra fidelidade financeira, mas também revela onde nosso coração realmente está.

Então, esse princípio desafia os crentes a avaliar seus corações e garantir que suas contribuições estejam alinhadas com a busca do reino de Deus.

5. Lucas 6:38

“Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando vos darão; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo.”

Explicação da palavra:

Jesus apresenta um princípio fundamental de generosidade e reciprocidade. Ele incentiva os discípulos a darem com generosidade, prometendo que, em retorno, receberão com uma medida ainda mais abundante. A linguagem enfatiza a ideia de que Deus retribui generosamente aqueles que são generosos em sua contribuição para os outros.

O princípio desta palavra não se limita apenas à esfera financeira, mas também se aplica à generosidade em todas as áreas da vida. A atitude de dar com liberalidade reflete a natureza generosa do reino de Deus.

E o lindo deste versículo é que dar é como plantar, ao tempo certo colhemos. Além disso, a palavra nos ensina que se quisermos recebermos, precisamos dar. E, ainda, conforme damos, recebemos. É muita lição num versículo só.

6. Provérbios 11:25

“A alma generosa prosperará; e aquele que regar também será regado.”

Explicação:

Com princípios semelhantes ao versículo que discutimos anteriormente, este destaca a conexão entre a generosidade e a prosperidade. A alma que é generosa, que compartilha e dá aos outros, experimentará uma prosperidade que vai além das dimensões materiais.

A imagem de regar e ser regado sugere um ciclo de bênçãos. Quando ministrar esta palavra, você pode dizer à igreja que “aqueles que são benevolentes e generosos serão abençoados de volta”.

Essa generosidade não está limitada apenas aos recursos financeiros, mas abrange todas as áreas da vida. Ao semear generosidade, colhemos bênçãos e prosperidade em retorno.

Amado(a), este princípio ressalta a importância de uma atitude generosa como um caminho para uma vida abundante e abençoada.

7. 2 Coríntios 8:12

“Porque, se há prontidão de vontade, será aceita segundo o que qualquer possui e não segundo o que não possui.”

Explicação:

Como Deus é justo. Neste versículo, o apóstolo Paulo destaca a importância da disposição e prontidão do coração ao dar. Ele encoraja os crentes a contribuir com o que têm de acordo com a medida de sua disposição, não se baseando naquilo que não possuem.

Esse princípio destaca a essência do dar voluntário e sacrificial, enfatizando que Deus valoriza a prontidão de coração e a disposição em contribuir, independentemente da quantidade absoluta.

Contribuir com generosidade, mesmo quando os recursos são limitados, é aceitável diante de Deus, pois Ele avalia o coração e a atitude por trás da oferta.

8. Lucas 21:1-4

“E, olhando ele, viu os ricos lançarem as suas ofertas na arca do tesouro; e viu também uma pobre viúva lançar ali duas pequenas moedas…”

Explicação:

Este relato de Lucas destaca a qualidade da oferta em vez da quantidade. Jesus observa as ofertas sendo depositadas no tesouro do templo e destaca a generosidade notável de uma pobre viúva.

Embora sua oferta fosse modesta em valor absoluto, Jesus a elogia porque ela deu tudo o que tinha, enquanto os ricos davam apenas uma parte de sua abundância.

Isso ressalta a importância da motivação e sacrifício no ato de contribuir para a obra do Senhor. Jesus valoriza a generosidade que vem de um coração disposto a sacrificar, independentemente do montante.

Ao ministrar esta palavra de oferta, enfatize este princípio de que Jesus vê a intenção do coração e não falsa aparência de contribuir para se aparecer.

9. Provérbios 19:17

“Ao Senhor empresta o que se compadece do pobre, e ele lhe pagará o seu benefício.”

Explicação:

Talvez você possa questionar se esta palavra é adequada para ministração de oferta. Mas, o princípio dela é apropriada para contribuição.

Este versículo destaca a prática da benevolência para com os necessitados. Emprestar ao pobre é como emprestar ao Senhor, indicando que Deus considera essas ações como uma expressão de compaixão e generosidade.

A promessa é que Deus recompensará aqueles que mostram misericórdia aos necessitados. Isso ressalta a importância da generosidade para com os menos afortunados e a compreensão de que nossas ações benevolentes são vistas e recompensadas por Deus.

10. Êxodo 35:5

“Tomai de entre vós uma oferta ao Senhor; todo aquele que for de coração voluntário, traga a oferta do Senhor: ouro, prata e cobre;”

Explicação:

Eu acho lindo como o autor coloca o texto, ele diz “coração voluntário“. Ou seja, a contribuição deve ser por livre e espontânea vontade. Não pode haver pressão sobre as pessoas.

Neste versículo, Deus instrui o povo de Israel a trazer ofertas voluntárias para a construção do tabernáculo.

A ênfase recai na generosidade que vem de um coração voluntário. Se você escolher ministrar este versículo, diga para a igreja que “Deus não exige uma contribuição compulsória, mas valoriza a disposição voluntária e a prontidão do coração ao dar.”

As ofertas incluíam materiais preciosos como ouro, prata e cobre, destacando a natureza significativa e especial da contribuição para a obra do Senhor.

Esse princípio continua relevante hoje, enfatizando que Deus valoriza as ofertas que vêm de corações dispostos a contribuir com alegria e generosidade.

Sobre o Autor

André Lourenço
André Lourenço

Formado em Teologia, Graduado em Qualidade e Professor de cursos de Pregação e Interpretação Bíblica, me sinto feliz em compartilhar estudos bíblicos com você.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.